Erros financeiros em empresas: quais são e como evitá-los?

Descubra quais são os principais erros financeiros cometidos pelas empresas e saiba como evitá-los no seu negócio.

Você sabe quais são os principais erros financeiros que as empresas cometem? Há muitos equívocos que podem gerar problemas e, em casos mais sérios, contribuir para o fechamento dos negócios.

A parte financeira é uma das mais importantes na administração de uma empresa. Caso ela apresente prejuízos de forma consecutiva, ficará difícil manter o negócio em funcionamento e, consequentemente, aumentam as chances de fechar as portas.

Está interessado em saber mais sobre esse assunto? Neste artigo, apresentaremos os principais erros financeiros que são cometidos pelas organizações. Com conhecimento deles, você poderá evitar passar por essas situações.

Continue a leitura!

Quais são os principais erros financeiros cometidos pelas empresas?

As empresas podem cometer diversos erros financeiros que prejudicam o andamento de suas próprias atividades.

Entre os principais erros financeiros estão: não separar as despesas pessoais das empresariais; não controlar os gastos; não ter uma reserva financeira; não precificar produtos e serviços adequadamente; não controlar prazos; não estabelecer objetivos; não ter controle de estoque; e não saber o momento certo de pedir acesso ao crédito.

Abordaremos todas essas questões detalhadamente na sequência do artigo.

Não separar despesas pessoais e empresariais

O hábito de não separar as despesas pessoais e empresariais pode gerar uma série de prejuízos. Certamente, o maior deles é a contração de dívidas que, de outra forma, poderiam ser evitadas.

Portanto, não é indicado usar o caixa da organização para quitar compromissos pessoais e nem usar recursos próprios com o intuito de quitar as dívidas da empresa.

A melhor forma de evitar cometer esse erro é fazer retiradas mensais do caixa da empresa de forma planejada. Essa prática é conhecida como pró-labore e funciona como se fosse um salário do empresário.

Dessa forma, você poderá utilizar esses recursos para pagar as suas dívidas particulares.

Não controlar os gastos

Independentemente do tipo e do tamanho de um empreendimento, é muito importante controlar os gastos. Cada operação deve ser devidamente registrada. Essa prática permitirá que você tenha maior controle das finanças e observe quais são os pontos que precisam ser melhorados. Assim, será mais fácil observar quais são as despesas que podem ser cortadas e ter ideias de novas fontes de receita.

É importante não esquecer de conferir se a sua organização está gerando lucro ou prejuízo pelo menos uma vez por mês. Com essa prática, ficará mais fácil identificar os períodos de sazonalidade — aqueles em que as receitas ou despesas aumentam ou diminuem no seu negócio, devido a algum motivo específico — e se preparar melhor para esses eventos.

Não ter uma reserva financeira

Idealmente, todas as empresas, independentemente de porte ou segmento, deveriam ter alguma reserva de emergência.

Momentos de instabilidade podem acontecer a qualquer hora e nenhuma empresa está totalmente imune a eles. Nesse contexto, as organizações que têm uma poupança conseguem se preparar melhor, caso haja imprevistos. Consequentemente, o andamento das atividades da empresa é pouco comprometido.

Não precificar produtos e serviços adequadamente 

Outro equívoco é em relação à precificação de produtos e serviços. Em algumas situações, as empresas atribuem preços muito reduzidos e, em outras ocasiões, muito elevados. Ambas são prejudiciais.

Quando as organizações colocam um preço muito baixo em produtos e serviços, elas geralmente não levam em consideração os custos para produzir. Com isso, trabalham com uma margem de lucro muito pequena, o que contribui para aumentar o risco do negócio.

Por outro lado, quando o preço é muito alto, poucas pessoas terão condições de comprar o produto ou serviço, o que acarretará um número reduzido de vendas.

Não controlar prazos 

Na administração financeira, é muito importante acompanhar os prazos de vencimento para não pagar nenhuma conta atrasada e, consequentemente, arcar com altas taxas de juros e multas.

Esses fatores podem comprometer as finanças da empresa e, por isso, é fundamental ficar atento.

É muito importante monitorar os prazos e fazer os pagamentos em dia para evitar que as dívidas cresçam rapidamente. Em algumas situações, por conta do efeito dos juros compostos, as despesas podem aumentar em um ritmo acelerado, ficando cada vez mais difícil de pagá-las. 

Não estabelecer objetivos

A definição de objetivos ajuda as organizações a estabelecerem uma direção a seguir. Ou seja, elas ficarão mais focadas.

Existem vários objetivos que podem ser determinados. Entre eles estão potencializar o número de vendas em determinado período, aumentar o faturamento e expandir os negócios, por exemplo.

É importante que tais objetivos sejam mensuráveis e tenham um prazo definido de realização. Dessa forma, será possível verificar se a organização caminha para alcançá-los.

Não ter controle de estoque 

A falta de controle de estoque pode fazer com que a empresa tenha excesso ou falta de produtos. Isso é bastante negativo, pois o seu negócio corre o risco de perder oportunidades de venda ou gastar com itens que ficarão parados.

Nesse contexto, é muito importante fazer um controle dos itens mais demandados, verificando quais são as mercadorias mais vendidas e, assim, priorizar a compra delas. Também é interessante pensar em estratégias para movimentar os produtos parados, como descontos ou promoções.

Não saber o momento certo de pedir acesso ao crédito

Em algumas situações, as empresas podem recorrer ao crédito sem necessidade e, devido aos encargos cobrados na operação, como consequência, podem acabar contraindo dívidas mais facilmente.

Portanto, é necessário ter propósito para solicitar crédito, de modo que a sua empresa aproveite da melhor forma possível esse tipo de recurso. Pode ser, por exemplo, para abrir novas filiais, vender novos produtos ou serviços ou investir em marketing, entre outras finalidades.

As organizações cometem erros financeiros que podem comprometer a existência delas. É importante saber quais são os principais, uma vez que esse conhecimento permitirá que a sua empresa se resguarde, adotando medidas de prevenção para não cometer essas ações.

Este artigo sobre os principais erros financeiros cometidos pelas empresas foi útil para você? Se ainda tem alguma dúvida, entre em contato conosco e veja como podemos ajudá-lo.

Nina do NAC

Uma economista de carteirinha. Adora as possibilidades que o conhecimento sobre crédito oferecem para empresas.

Ver todos os posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Com o crédito certo, você consegue mais.

Cada linha de crédito disponibilizada no mercado existe para atender uma finalidade específica. Ao ter claro o perfil e a transformação que você quer ver no seu negócio, as chances de sua empresa conseguir o crédito desejado, sob as menores taxas possíveis, aumentam.